Procure aqui
0
TOPO

Tag: beleza

FEATURED

Minhas roupas podem ser básicas, mas algo que pode dar um toque de estilo são os acessórios. Quando mais nova achava meus braços muito finos para braceletes e pulseiras. Hoje, eu uso e abuso desse acessório lindo! Um acessório de origens muito antigas, o bracelete é hoje uma das peças prediletas do público feminino.

Os registros históricos confirmam que os braceletes eram usados no Antigo Egito, por reis, rainhas e sacerdotes. Podemos perceber nas paredes dos templos os reis de outrora usando um bracelete em cada braço, indicando o seu poder como rei-deus! Mas esse acessório também é encontrado dentro de um conceito religioso e social de outras civilizações. Na Bulgária se amarravam cordas vermelhas e brancas para atrair amor, felicidade e saúde. Na Grécia o uso do bracelete protegia dos efeitos do sol. Na Índia, o uso de braceletes indica o estado civil de quem o usa. Percebemos em livros e filmes históricos os braceletes surgindo em formas e materiais diferentes. Mas e no nosso tempo?
Bracelete do jovem faraó Tutankamon. 1323 a.C,
Na década de 30 a grande estilista Coco Chanel desenvolveu junto do designer de jóias Duque de Verdura o bracelete de Cruz de Malta. Feito de resina o bracelete recebeu aplicação em pedraria, que desenha então a cruz. 
Criada na década de 40 a personagem da Mulher Maravilha teve grande destaque em um meio onde os heróis masculinos imperavam. A heroína usava braceletes mágicos que a ajudavam a se proteger de projéteis. É claro que os acessórios se tornaram ainda mais famosos (e usados em ambos os braços ao mesmo tempo!).
Famosos no mundo todo, os braceletes da Pandora são sucesso de vendas e podem ser encontrados em diversos materiais. É objeto desejo! Confira alguns modelos e use e abuse da criatividade para usá-los e combiná-los!

Bracelete rígido

De estrutura firme e acabamento sofisticado esse tipo de bracelete é moderno e bastante versátil! Os modelos em prata são atemporais e os meus favoritos! Esse modelo pode ser usado tanto sozinhos quanto em conjunto. Existem modelos lisos e modelos com detalhes lindos e interessantes. Para o dia a dia, dê preferência para os modelos lisos que podem ser combinados à um lindo relógio e outras pulseiras. O acabamento em ouro é mais poderoso e luxuoso e fica chique combinados à peças sóbrias e de acabamento mais fino como pérolas, brilhantes e pedras preciosas. Fica lindo para iluminar produções mais formais. Mas se você quiser ser ousada e tem medo de se jogar, misture os metais e mescle ouro e prata nos seus pulsos. Os charms pendentes da Pandora dão um toque de originalidade às peças, por serem escolhidos de acordo com seu gosto pessoal (eu amo!).

Aberto ou Fechado?

O bracelete rígido aberto confere muita originalidade à uma produção, apesar de não poder receber os tão amados charms. E ainda dá pra combinar com braceletes flexíveis, em prata de lei ou ouro 14k, que deixam seu visual mais elaborado. Os braceletes fechados tem a praticidade de ser combinados à outros, usados sozinhos e podem ser complementados com charms que contam a sua história. Além disso ultrapassa o limite da lindeza quando combinados com outros materiais e modelos.

Bracelete de couro

Esse bracelete é uma peça unissex que se tornou febre entre os mais fashionistas. Esse tipo de joia, confeccionado em couro trançado pode ser encontrado em diversas tonalidades e o fecho em prata deixa a peça ainda mais bonita. É um acessório bem versátil que pode ser combinado com outros materiais e também usado sozinho. 
Os braceletes da Pandora são um caso à parte de lindos que são e eu tenho um amor enorme por esses charms. Mas atenção! Antes de comprar qualquer peça fique atenta às medidas do seu braço para que a peça comprada tenha o tamanho perfeito pra você, a Pandora disponibiliza os modelos nos tamanhos de 16 a 21 cm. 
Amou? Adorou? Já tem um bracelete pra chamar de seu? Conta aqui pra mim!
XoXo,
Grazy

Esse publipost ajuda a manter o blog e a comprar a ração do Dominic. ♥

FEATURED
186 Views

Estava eu procurando bons shampoos porque meu cabelo andava pesadão, caindo pela casa toda e dando mó trabalho. Aí dei uma lida sobre os shampoos livre de químicas como parabeno, silicone e outras coisas que podem ser danosas. Parei e pensei: porque não tentar o tal do low poo? Já taco tinta todo mês no cabelin, acho que ele merece um pouco mais de cuidado.

Meu cabelo é: Grosso + Ondulado + Volumoso + Seco. Lavo ele no máximo 3 vezes na semana. Ele é seco então não requer tanta lavagem. Escolhi a dupla da Yamasterol para os testes preliminares.

Na primeira usada eu estranhei muito porque o negócio dava a impressão de que não estava lavando o cabelo sabe? Repeti o processo algumas vezes e acho que usei produto demais. Depois li as instruções do Co-Wash e acabei colocando produto no couro cabeludo: erro grotesco! Acredito que tenha sido um erro de rótulo. Tive que lavar o cabelo um dia antes do previsto (porque parecia sujinho). Na outra lavadinha a coisa fluiu melhor. Parece que deu uma limpada de verdade. Usei Co-Wash apenas no comprimento do cabelo e ficou bem fácil de desembaraçar. Mas a minha preocupação era: e o dia da tintura?

Dia da Tintura – A revelação.

Confesso que não usei apenas o Yamasterol no dia da tintura. Arreguei. Para a retirada da tinta usei um shampoo anticaspa do Robson até eu perceber que o acúmulo de tinta tinha saído. Repeti a lavagem do couro cabeludo com o shampoo Yamá e o Co-Wash. Depois ainda enluvei com um pouco de Morte Súbita (by Lola) e o cabelo ficou limpo e perfeito.
Nas demais lavagens usei apenas os produtos Yamá e ocasionalmente o Morte Súbita. Nessa última semana acabei me atrasando nas lavagens e senti o cabelo muito oleoso, usei em uma das lavagens um shampoo que minha mãe trouxe, à base de Babosa, porém como ela não me trouxe a embalagem natural não pude ver a composição. E também meu Yamá já estava bem no fim, então tive que arriscar. Mas deu de tirar minhas impressões. 

The End. Vai ter continuação?

Depois da primeira impressão esquisita pela falta de muita espuma eu acostumei com o produto. Meu cabelo continua crescendo feito grama o que mostra cabelos brancos demais. Porém, com o avançar do processo, percebi que ele ondulou mais e ficou mais leve. Como eu vivo no inverno do Sul não tive oportunidades para deixar meu cabelo secar naturalmente, tive que fazer uso do secador. O calor acaba deixando meus fios mais lisos, porém, no dia que secou naturalmente os fios ondularam (por baixo, por cima sempre “indeciso”.).
Vou continuar fazendo uso dos produtos e quem sabe experimentar alguns que sejam dessa linha Low-Less (tipo Bioextratus, Lola, Inoar). Tudo depende é do orçamento mensal. Por enquanto fico com o Yamasterol. O kit Shampoo + Co Wash saíram por R$30, na lojinha de cosméticos da esquina. 
Já usou? Me dá umas dicas aí!
XoXo,
Grazy

Uptade: Comprei o Yamasterol novamente e vou usá-lo até o fim. Se eu perceber mais alguma mudança eu conto pra vocês! Ah, fiquei devendo as fotos… Sorry.

FEATURED
316 Views
Sem categoria

Um ano sem salão…

FEATURED

Desde que eu vim morar em Balneário Camboriú que diminui minhas idas ao salão de beleza. Aqui um simples corte de cabelo pode passar de 80 reais. Não pago isso só pra cortar as pontinhas! Este ano quase não fui pro interior, lá eu tenho uma cabeleireira que cuida dos meus cabelos a anos. Como eu queria deixar ele crescer decidi cuidar eu mesma disso!

Há exatamente 52 semanas que fui ao salão pela ultima vez. E posso contar que tive uma experiência incrível!!!

Como eu cuidei dos meus cabelos nesse ano?

Passei a tingir apenas a raiz do meu cabelo. Antes quando eu tingia passava tinta em tudo! Acabava que o cabelo ficava pesado e sem vida. Como eu precisava cobrir os brancos passei a fazer somente a raiz. Ia tinta fora sim e esse trabalho me toma menos tempo. Além disso peguei prática no negócio e hoje em dia consigo tingir em poucos minutos!

Passei a cortar as pontas sozinha. Como meu cabelo é repicado e ondulado não tem muito segredo. Com ele molhado, penteava e desembaraçava. Torcia todo o cabelo pro lado direito e cortava as pontinhas. Depois penteava de novo, torcia o cabelo pro lado esquerdo e cortava as pontinhas. Quando a mãe vinha me visitar eu lavava, penteava e pedia pra ela ajeitar se estivesse torto. E era um fiozinho ou outro que ficava fora do lugar. Assim eu mantinha as pontas aparadas todo mês!

Um ano atrás…

O que eu ganhei com essa experiência?

Ganhei conhecimento sobre meu próprio cabelo. Nesse ano eu passei a perceber o quanto ele precisava de hidratação. Percebi o quanto ele vinha crescendo. Percebi como eu gostaria que ele ficasse. Percebi que eu não preciso de um cabelo liso, mas de um cabelo legal. Passei a amá-lo.
Economizei sim, mas o principal foi conhecer as necessidades do meu cabelo e amá-lo do jeito que ele é! Cuidei mais dele nesse ano do que o resto da vida!

Agora!

O que eu pretendo agora?

Pretendo manter ele longo agora no verão. Acho mais simples prender nos dias de calor do que ficar com um cabelo que não prende de jeito nenhum. Pretendo ir à salão sim, mas a delícia de cuidar dos cabelos em casa me fazem pensar duas vezes antes de fazer um novo corte! Eu gostei tanto da experiência que pretendo continuar a cuidar dele por conta própria. Mas se eu decidir descolori-lo para o cinza vou buscar ajuda profissional.

Meu cronograma é:

Tenho cabelos volumosos, de fios bem grossos. Ele é de normal para seco. Lavo duas vezes por semana (no verão lavo mais por conta da praia e dias muito quentes). Pinto uma vez por mês, ou a cada 20 dias. Na semana seguinte à pintura faço uma hidratação com máscara, óleo, bepantol e vitamina.

Produtos que uso:

Já falei de alguns aqui. Uso Shampoo e Condicionador da Elséve L’Oreal (Reparação Total 5 e devo mudar agora no verão para outra linha da mesma marca). Estou usando o Aussie 3M que ganhei só pra reforçar a hidratação agora no verão. Na hidratação mensal uso a máscara da Vult e o óleo da Vult (que mostrei no post anterior), Bepantol e uma ampola de Adeforte. De tintura já usei uma linha da AlfaParf, Cor e Ton, Wellaton, Alta Moda, Koleston e Beauty Color (ufa!). Comprava o que achava no meu número. Ainda não sei qual meu preferido, hahahaha. Evito secador de cabelo e chapinha.

Foi uma experiência maravilhosa. E você, já fez algo assim?

XoXo,
Grazy

FEATURED
243 Views

Oi pessoal! Como foi o final de semana de vocês?! Eu tirei o domingo para cuidar um pouco mais da aparência: cobri os cabelos brancos, testei a ampola da Pantene (já vou falar) e fiz as unhas. Fazia tempo que eu não cuidava das minhas unhas e eu quis passar um esmalte bem alegre, bem primaveril!

Ganhei esse esmalte turquesa da minha tia e comadre. Ela me mandou dois vidrinhos dessa coleção da Camila Coelho para a Yenzah Nail Color. Eu gosto muito dessa cor e fazia tempo que eu não usava um tom azulado nas unhas. Nas fotos ele puxou bem pro azul, mas ele é mais esverdeado lembrando a pedra Jade que inspirou o esmalte.

O nome da cor é Blue Jade e ele tem alguns brilhinhos que dão um charme na esmaltação. Achei a textura boa, puxando pro grosso. Passei duas demãos e algumas unhas mancharam um pouco. Não sei se curti o pincel, ele é grossinho sabe? Parece que puxa muito esmalte e deixa meio grosseiro. Demorei pra me acostumar com ele. Mas a cor é linda e eu curti muito. É a cara da primavera-verão.

Dei uma ajeitada na cor dessa foto e é a que mais se assemelhou com a cor que ficou nas unhas. É muito bonito. Aqui também dá pra perceber os brilhinhos que tem no esmalte.
Usei spray secante da Neez que ajuda a secar mais rápido, protege o esmalte e dá acabamento. Além disso estou in love com os produtos da Neez, tenho o mousse de cabelo que já falei aqui.

No início do post eu comentei que tinha pintado os cabelos e usado a ampola da Pantene. Usei a tinta da Cor e Ton (Chocolate 6.7) e é a segunda vez seguida que uso essa marca. Gostei bastante, mas como meus cabelos estão crescendo rápido preciso pintar a cada 20 dias para cobrir os brancos. A ampola da Pantene é aquela dos 3 minutos milagrosos. A que eu usei foi a de Reparação Rejuvenescedora. Você aplica só no comprimento do cabelo e eu gostei bastante! O cabelo ficou macio e cheiroso. Como eu usei uma amostra que veio com a coloração da Koleston ainda quero comprar as ampolinhas mesmo e continuar o tratamento. Ambas aprovadas!

O esmalte da Camila Coelho custa em média R$ 16.50. O Spray Secante de Esmaltes da Neez custa em média R$ 15,00. A coloração Cor e Ton custa em média R$ 10,99 e a Ampola Pantene eu pesquisei e custa em média R$ 6,50 a unidade.

Me diz aqui se você já usou um desses!

XoXo,
Grazy